PLANTA BAIXA: REPRESENTAÇÃO GRÁFICA

Você sabe o que é uma Planta Baixa? Parece uma pergunta simples, mas é muito comum pessoas que não são da área de arquitetura e engenharia, confundirem a Planta Baixa com o Projeto. Ambos são elementos diferentes, sendo que a Planta baixa é apenas um dos vários elementos que compõem um projeto.

A ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, elaborou a Norma Brasileira NBR 6492, atualizada em junho de 2021, que trata da Documentação técnica para projetos arquitetônicos e urbanísticos — Requisitos, ou seja, é a norma que explica quais as etapas e as regras para a apresentação de um projeto, no que diz respeito a documentação técnica. Como a própria norma descreve na sua introdução:

“Para que uma obra seja construída, é necessário que todos os agentes envolvidos compreendam os projetos, o que signifca entendimento das partes interessadas (por exemplo, clientes, projetistas, construtores, fornecedores de materiais e componentes, órgãos legais e competentes, e outros). Neste sentido, apresentam-se como objetivos principais a correta comunicação entre os agentes, a produção de uma base documental para tomada de decisões e do histórico do processo de projeto, os quais, em conjunto, auxiliam na redução de falhas e retrabalhos e na realização de correções mais precisas, durante o processo, e na melhoria da qualidade do próprio projeto. Assim, é importante estabelecer regras para a documentação escrita e gráfca de projetos arquitetônicos e urbanísticos, reunindo o conteúdo mínimo de informações das etapas dos projetos, a serem devidamente registradas, em textos, desenhos, imagens ou outras formas de documentação.”

Para desenvolver uma Planta Baixa, você pode utilizar o desenho à mão ou softwares de desenhos como o autocad, revit, archcad, layout sketchup, dentre outros, desde que utilizem as recomendações técnicas de representação.

Afinal, o que é uma planta baixa?

A planta baixa é um desenho técnico que mostra a edificação como se fosse vista de cima, logo, é uma vista superior em projeção ortogonal, em uma determinada altura.


Veja abaixo vários elementos necessários para uma boa representação de Planta Baixa:

FOLHAS DE DESENHO

Destaca-se como primeiro ponto as folhas de desenho, pois é por onde começamos todo o processo. Para isto, os desenhos de um projeto devem ser representados em papéis com resistência e durabilidade apropriadas, em formato de papel da série A (Formato A0 como máximo e A4 como mínimo), para facilitar no manuseio e arquivamento.

A NBR 16752/2020 – Desenho técnico — Requisitos para apresentação em folhas de desenho, detalha a forma de apresentação da folha de desenho. Destaca-se que além dos formatos é necessário o cuidado com a demarcação de margens e quadros, para limitar o espaço para desenho. A margem esquerda deve ter 20 mm de largura para permitir que a folha seja perfurada e arquivada. Todas as outras margens devem ter 10 mm de largura.

A norma também trata de como deve ser a disposição dos espaços na folha de desenho, devendo haver: espaço para desenho; espaço para legenda (carimbo); e espaço para informações complementares, quando necessário.

Disposição dos espaços na folha de desenho
Figura 01: Disposição dos espaços na folha de desenho / Fonte: NBR 16752/2020

CARIMBO OU LEGENDA

O carimbo (também chamado de legenda) é o elemento que fica posicionado no canto inferior direito das folhas de desenho e deve conter as informações gerais do desenho, que segundo a NBR 6492(2021), deve incluir:

  • Identificação da empresa;
  • Identificação do cliente, nome do projeto ou empreendimento;
  • Título do desenho (que deve constar aqui no carimbo e abaixo do desenho);
  • Indicação sequencial do Projeto (número ou letras);
  • Escala;
  • Local e data;
  • Autoria do desenho e do projeto;
  • Responsável(is) técnico(s);
  • Indicação da revisão;
  • Local para a chancela de aprovação (quando aplicável).

Coloque uma área destinada a informações complementares na sua prancha de desenho, onde serão colocadas informações diversas, quadros de áreas, quadros de específicações e etc. Esta área de texto deve ficar próxima ao carimbo, ou acima ou na lateral esquerda dele, e deve conter os seguintes elementos:

  • Planta-Chave;
  • Escala Gráfica;
  • Numeração;
  • Descrição da revisão;
  • Convenções gráficas;
  • Notas gerais;
  • Desenhos de referências;
  • Legenda de símbolos;
  • E qualquer outra informação necessária para a compreensão do projeto.

A NBR16752 – Desenho técnico — Requisitos para apresentação em folhas de desenho diz que a legenda (carimbo) deve ser elaborada na forma de um quadro subdividido em campos de dados, contendo informações, indicações e identificações relevantes associadas ao desenho. Posicione a legenda na horizontal e situada no canto inferior direito do quadro, apresentando, em todos os formatos, 180 mm de comprimento e altura variável.

Exemplo de legenda/carimbo
Figura 02: Exemplo de legenda/carimbo / Fonte: NBR 16752/2020

LETRA TÉCNICA

Represente as letras e algarismos de forma técnica, não utilize letra cursiva ou “desenhada”, pois as letras e algarismos precisam ser representados de forma técnica, com espessura uniforme e equivalente a um décimo da altura da letra em caixa alta (maiúscula).

Para escrever de forma adequada, a ABNT desenvolveu a norma NBR 8402/1994 – Execução de caracter para escrita em desenho técnico. Esta Norma fixa as condições exigíveis para a escrita usada em desenhos técnicos e documentos semelhantes, onde descreve como algumas das principais exigências na escrita em desenhos técnicos a legibilidade e uniformidade.

NUMERAÇÃO DOS TÍTULOS E DESENHOS

O Título se refere ao nome do desenho, pois sabemos que um projeto é composto pela representação de vários desenhos, então sempre é obrigatório você identificá-lo. Se você está desenhando uma Planta Baixa este nome precisa estar escrito tanto na Legenda (conhecida como Carimbo), assim como precisa estar escrito logo na parte inferior esquerda do desenho.

Numere todos os desenhos do projeto, sem excessão, em todas as pranchas, a partir do número 1 até n, que é a quantidade de desesenhos que houver no seu projeto, então a planta baixa deve estar numerada de acordo o número em que ela está na sequência de desenhos.

A numeração do desenho vai junto com a identificação, por exemplo: Se foram desenvolvidos 15 desenhos, você pode indicar que sua planta baixa é o desenho número X.

Representação de Título no desenho conforme a norma NBR 6492/2021.
Figura 03: Exemplo de Título para o desenho / Fonte: NBR 6492/2021

ESCALA

Coloque a Escala em que o desenho foi feito, logo abaixo do título, mesmo que já esteja indicada no carimbo pois em muitas pranchas são desenvolvidos vários desenhos com escalas diferentes. O escalímetro é um excelente aliado tanto para o desenho quanto para a conferência de escalas.

Segundo a NBR 6492/2021, pode-se utilizar as escalas usuais e as escalas gráficas. Sendo que a NBR 8196/1999 – Desenho técnico – Emprego de escalas, trata especificamente ds escalas usuais, trazendo a informação que a designação completa de uma escala deve consistir na palavra “ESCALA”, seguida da indicação da relação:
a) ESCALA 1:1, para escala natural;
b) ESCALA X:1, para escala de ampliação (X > 1);
c) ESCALA 1:X, para escala de redução (X > 1).

As escalas gráficas devem ser representadas de acordo com a escala do desenho e, preferencialmente, conforme o exemplo abaixo:

Exemplo de Representação de Escala Gráfica conforme NBR 6492/2021
Figura 04: Exemplo de Representação de Escala Gráfica / Fonte: NBR 6492/2021

NORTE

Indique a posição do Norte no desenho, é imprescindível, pois através dele conseguimos situar a posição da edificação no espaço, conseguindo fazer relações com a ventilação predominante, com o nascente e poente do sol  e assim identificar situações de conforto ambiental na edificação.

O norte pode ser reprsentado através da rosa dos ventos, de uma seta, ou preferencialmente conforme o exemplo da NBR 6492/2021.

Figura 05: Exemplo de Representação de Norte / Fonte: NBR 6492/2021

DESENHO DAS PAREDES E ESQUADRIAS

Após o desenho das simbologias e montagem da folha de desenho, há o desenho da edificação em si, para isto primeiramente se inicia pelo desenho das paredes, que deve atender as diferentes espessuras e tipos de linhas, assim como demonstrado na NBR 6492/2021, anexo A.

Represente as paredes com linha contínua e larga, pois trata-se de um contorno visível, a excessão são nos trechos onde tem-se as esquadrias, pois nestes trechos o tipo de linha vai variar de acordo com o tipo de esquadria representada.

Apresente em cada esquadria (portas, janelas) uma simbologia como legenda de designação, onde seja possível identificar as características daquelas esquadrias, pois fica inviável colocar todas as informações no próprio desenho, então apartir da simbologia, pode-se montar um quadro com todas as informações necessárias. Represente a simbologia deve com uma circunferência e as letras e números no seu interior, como exemplo: P1 (para porta do tipo 1), P2, P3 e assim sucessivamente, assim como: J1 (para janela do tipo 1), J2, J3 e assim por diante. Podendo ou não, estar representada com a dimensão da esquadria, no entanto, só o simbolo já é suficiente e deixa a planta mais “limpa”, conforme o exemplo na figura 06.

Figura 06: Exemplo de designação de esquadrias / Fonte: NBR 6492/2021

DESENHO DO MOBILIÁRIO FIXO E ÁREAS MOLHADAS

Não represente na planta baixa os mobiliários móveis, como uma mesa, uma cama, dentre outros, ou seja, se for algum elemento que você pode movimentar, não desenhe, pois estes elementos serão representados na planta de LAYOUT. No entanto, é necessário desenhar todos aqueles mobiliários que são fixos no local, como um vaso sanitário, um lavatório, uma bancada e etc.

Represente o piso na planta baixa apenas nas áreas consideradas como áreas molhadas, como banheiros, cozinhas, lavanderias e afins, pois assim facilmente se visualiza estas áreas ao longo da planta baixa.

NOME DO AMBIENTE, ÁREA, NÍVEL E ESPECIFICAÇÕES

Indique em todos os ambientes as seguintes informações em sequência:

  • Nome do ambiente: Escreva como será denominado aquele ambiente, como sala, cozinha, quarto e etc;
  • Área: Para cada ambiente indique a área, em m² (metros quadrados) referente somente aquele espaço;
  • Nível do Piso: Indique qual a altura daquele nível de piso em relação ao nível zero que você definiu no projeto;
  • Especificações dos materiais: Faça a legenda de piso (quadrado), parede (triângulo) e teto (círculo), indicando a numeração referente a cada especificação escolhida.
Exemplo das informações que devem estar em todos os ambientes
Figura 07: Exemplo das informações que devem estar em todos os ambientes

PROJEÇÃO DE ELEMENTOS ELEVADOS

A planta baixa é a representação de um corte feito a 1,50m de altura do piso, então todos os elementos que estão acima desta altura devem ser representados com linha tracejada, porque representam elementos não visíveis do ângulo do desenho. Isto serve para janelas altas, marquises, beirais e quaquer outro elemento que esteja acima de 1,50m.

COTAS PARCIAIS E TOTAIS

As cotas de sua planta devem considerar as recomendações da da norma NBR 10126/1987 – Cotagem em desenho técnico, que é uma norma que fixa os princípios gerais de cotagem a serem aplicados em todos os desenhos técnicos. No entanto, vale ressaltar a importância de cotas parciais, onde se representa a dimensão de pequenos trechos que são seguimentos na planta baixa, e da cota total, onde se consegue visualizar rapidamente o tamanho total da edificação.

Exemplo de cotas parciais e total. Adaptado da NBR 6492/2021
Figura 08: Exemplo de cotas parciais e total / Fonte: Adaptado da NBR 6492/2021

Indique as cotas utilizando o sistema métrico de medidas. Tenha o cuidado de em um único desenho, utilizar a mesma unidade de medida. Os limites de linha de cotas podem ser representados conforme os exemplos abaixo.

Linhas de cotas
Figura 09: Linhas de Cotas / Fonte: NBR 6492/2021

INDICAÇÃO DE ACESSOS, CORTES, ELEVAÇÕES E DETALHES

As indicações facilitam o entendimento e a relação dos outros desenhos do projeto em relação a planta baixa.

Represente o acessos por uma seta, indicando as entradas, de pedestres, veículos, acesso principal, acesso de serviço e assim por diante.

Indique a marcação de cortes e elevações na planta baixa, pois vai demonstrar a posição dos outros desenhos que serão representados, e siga a simbologia indicada na norma, com uma seta indicando a posição e a numeração em que será representado o referido desenho.

Indicação de Fachadas e Cortes de acordo com a NBR 6492/2021
Figura 10: Indicação de Fachadas e Cortes/ Fonte: NBR 6492/2021

Represente as marcações de ampliação e detalhes que podem conter no projeto, conforme o exemplo abaixo.

Representação das marcações e chamadas de detalhes e ampliações de acordo com a NBR 6492/2021
Figura 11: Representação das marcações e chamadas de detalhes e ampliações / Fonte: NBR 6492/2021

QUADROS DE INFORMAÇÕES

Faça um quadro de informações pois apesar do desenho da planta baixa já trazer muitas informações, nem todas as informações conseguem ser explicitadas no desenho. Estes quadros devem ficar na folha de desenho na área própria para textos, próximo ao carimbo.

Represente os principais quadros na sua planta baixa:

Quadro de Simbologias: Este quadro é interessante para que todas as pessoas, inclusive aquelas que não tem vivência na leitura de projetos, consiga identificar os elementos da planta baixa para que consiga entender as informações. Apresente neste quadro todos os símbolos adotados no projeto.

Exemplo de quadro de simbologias para Planta Baixa.
Figura 12: Exemplo de quadro de simbologias para Planta Baixa.

Quadro de Áreas: Exponha as áreas gerais adotadas no projeto, como as dos parâmetros urbanísticos, para conferir se está de acordo com a legislação. Demonstre também as áreas dos ambientes, separadas por setores, para melhor entendimento do projeto.

Exemplo de quadro de áreas gerais para Planta Baixa.
Figura 13: Exemplo de quadro de áreas gerais para Planta Baixa.
Exemplo de quadro de áreas por ambiente para Planta Baixa.
Figura 14: Exemplo de quadro de áreas por ambiente para Planta Baixa.

Quadro de Especificações de Materiais: Mostre neste quadro as especificações gerais de piso, parede e teto, incluindo o tipo de material, dimensões (se for o caso), cores, texturas e todas as informações relevantes.

Exemplo de quadro de especificações de materiais para Planta Baixa.
Figura 15: Exemplo de quadro de especificações de materiais para Planta Baixa.

Quadro de Esquadrias: Apresente a lista de todas as esquadrias representadas no projeto, incluindo o tipo de esquadria, o material utilizado, a quantidade de folhas, e as dimensões.

 Exemplo de quadro de esquadrias para Planta Baixa.
Figura 16: Exemplo de quadro de esquadrias para Planta Baixa.

Quadro de Ventilação e Iluminação: Neste quadro você deve listar todas as áreas de iluminação e ventilação do projeto para conferência com a legislação local.

Exemplo de quadro de iluminação e ventiação para Planta Baixa.
Figura 17: Exemplo de quadro de iluminação e ventiação para Planta Baixa.

CHECK LIST

Você se lembrava ou sabia dessas recomendações para representação gráfica? Anota esse check list abaixo para não esquecer mais!

  • Folhas de desenho
  • Carimbo ou Legenda
  • Letra Técnica
  • Numeração de Títulos e Desenhos
  • Escala
  • Norte
  • Desenho das paredes e esquadrias
  • Desenho dos mobiliários fixos e áreas molhadas
  • Nome do Ambiente, Área, Nível e Especificações
  • Projeção de elementos elevados
  • Cotas parciais e totais
  • Indicação de acessos, cortes, elevações e indicação de detalhes
  • Quadros de Informações
Posso ajudar?